Organização é o primeiro passo para quitar as dívidas

28/04/2016


Muitas vezes, ao enfrentar dificuldades financeiras, seja por descontrole nos gastos, por queda nos rendimentos ou até mesmo em função de desemprego, muitas pessoas, na ânsia de quitar dívidas, saem contratando empréstimos caros que acabam por abrir um rombo ainda maior no orçamento.

A professora Liliane Cristina Segura, do curso de Ciências Contábeis do Mack, orienta que para controlar a situação, é preciso eleger as “dívidas essenciais” e, em seguida, renegociar as outras. “Faça sem medo. Não se deixe levar pelo constrangimento ou intimidação das entidades financeiras. Leve em conta todos os seus gastos e estenda o prazo para pagamento e parcelamento o quanto precisar”, indica a especialista.

Renegociar é sempre boa alternativa, já que a prática é do interesse de ambas as partes, tanto para quem quer pagar, porque se vê livre de uma pendência, quanto para quem quer receber, pois tem a garantia da quitação.

Para não acumular novas dívidas, o uso de cartão de crédito deve ser evitado ao máximo. “É preciso foco. As pessoas precisam se concentrar em não acumular dívidas. Cartão de crédito e cheque especial geralmente são as piores formas de tentar resolver um problema de imediato, que pode virar uma bola de neve depois”, comenta Liliane.